Sexta-feira, 03.09.10

Ser ou estar só, eis a questão.

publicado por portosolidao@sapo.pt às 14:10 link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 29.06.10

3 minutos de Paulo Coelho

Depois de pontos de interrogação, perguntas e respostas e não termos respostas porque não perder 3 minutos do seu tempo a ouvir o escritor  brasileiro Paulo Coelho?!

 

publicado por portosolidao@sapo.pt às 21:23 link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 12.10.09

Antes que Seja Tarde

 

 

Amigo,
tu que choras uma angústia qualquer
e falas de coisas mansas como o luar
e paradas
como as águas de um lago adormecido,
acorda!
Deixa de vez
as margens do regato solitário
onde te miras
como se fosses a tua namorada.
Abandona o jardim sem flores
desse país inventado
onde tu és o único habitante.
Deixa os desejos sem rumo
de barco ao deus-dará
e esse ar de renúncia
às coisas do mundo.
Acorda, amigo,
liberta-te dessa paz podre de milagre
que existe
apenas na tua imaginação.
Abre os olhos e olha,
abre os braços e luta!
Amigo,
antes da morte vir
nasce de vez para a vida.

Manuel da Fonseca, in "Poemas Dispersos"

 

publicado por portosolidao@sapo.pt às 00:08 link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 09.09.09

A Solidão por companhia

 <<Solidão procura solidão e, quanto mais uma pessoa se isola, à medida que o tempo vai passando, mais isolada quer estar. Quando as pessoas se apercebem que a solidão é a sua companhia, o rosto entristece, a alma desvanece, um forte pesar parece invadir o pensamento. O cenário torna-se deprimente. O futuro sem esperança...>> por  Manuel Neto, em DN 6 Dezembro 2004

Quem não procura a companhia da Solidão? É paradoxal ter a Solidão como companheira quando esta é, por definição,  um sentimento de vazio e isolamento! Mas, na verdade, ela é nossa companheira em alguns momentos da vida. É na Solidão que nos encontramos, que nos embrenhamos no nosso ser. Contudo, devemos lembrar que não vivemos sós neste mundo! Dependemos uns dos outros…desde o padeiro, que nos coze o pão de todos os dias, o agricultor, que tira da terra os seus frutos vitais, ao amigo que sempre nos apoia e ajuda e tantos outros que tantas vezes nem nos damos conta! Vivemos em sociedade e necessitamos de interagir, pois essa é a nossa natureza! Contrariar esta natureza é fazer-nos infelizes…

publicado por portosolidao@sapo.pt às 16:22 link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 24.05.09

Rostos pela Solidão

Não somos anónimos. Temos rostos. Cada um de nós responde por um nome e todos respondemos pelo nome de Porto Solidão.

Para além deste blog vamos-nos distribuindo pelos diversos apoios que prestamos - neste blog; nos domicilios, para aqueles que se encontram incapacitados; no telefone 96 7001747 (todos os dias das 21 às 23 horas) e no CAF onde, todas as terças feiras, temos um voluntário das 18 às 20 horas.

É por acreditarmos que a beleza está naquilo que se dá que criámos este projecto. Em cada um destes atendimentos está um desses rostos disponível para acolher quem precisa de redescobrir o sol da vida

tags:
publicado por portosolidao@sapo.pt às 21:16 link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 07.04.09

Solidão

 

 É difícil definir solidão. Provavelmente já todos, num momento ou outro, experimentámos esse sentimento e, se déssemos o nosso testemunho, certamente o encheríamos com adjectivações diferentes, ainda que, no fundo, pudéssemos sintetizá-lo a sensações de abandono, de desenraizamento, de separação, de não identificação.

Estes sentimentos, vividos de forma permanente e prolongada, podem provocar-nos insegurança, ansiedade, falta de esperança, inutilidade, rejeição, depressão.

É, afinal, a ausência de ser amado e de amar. Desde logo, de nos amarmos a nós mesmos como homens e mulheres, cheios de defeitos e virtudes, cheios de sonhos e frustrações, cheios de forças e fraquezas.

A solidão está intimamente ligada a perdas e mudanças dos mais diversos tipos.  Isolamo-nos para chorar as nossas perdas, distanciamo-nos para conviver com as nossas mudanças e, sem darmos conta, rejeitamos o mundo à nossa volta e tornamo-nos irreconhecíveis perante nós mesmos.

É nessas alturas que precisamos de apoio, que temos de encontrar alguma energia para contrariar o desânimo.

Não é fácil, sobretudo porque ninguém nos resolve os nossos problemas. Mas pode haver alguém que nos escute e que esteja disposto a caminhar ao nosso lado, para nos dar o braço todas as vezes que cambaleamos.

 

 

publicado por portosolidao@sapo.pt às 15:02 link do post | comentar | favorito
Sábado, 10.01.09

Quem somos

Um dos dramas desta nossa sociedade anónima, apressada e individualista é a solidão.

Solidão não é estar só. Estar só é geralmente uma opção livre, temporária, que proporciona momentos agradáveis, estimula a criatividade intelectual ou artística, permite parar na vida e olhar criticamente para dentro de nós e para as coisas do mundo.
Solidão é sentir-se só. Trata-se geralmente de uma situação forçada e geradora de angústia: é estar no meio de uma multidão que passa e não liga, olha e não vê, fala e não ouve, é não ter um ombro onde chorar, não ter alguém para nos ouvir, não sentir o calor de uma voz amiga.
A Solidão põe em causa a natureza social que caracteriza a pessoa. É, portanto, uma situação que obriga ao exercício da solidariedade.
Foi a consciência desta realidade que levou um grupo de Voluntários a estar disponíveis, com os seus talentos e as suas limitações, para acolher aqueles que vivem em solidão e estão necessitados de uma ajuda para superar ou pelo menos minorar o estado em que a vida os deixou.
Chamámos a este projecto: “Porto Solidão”. Quisemos jogar com um simbolismo que inclui as ideias de chegada a um espaço de abrigo, mas também de partida para o mar largo e aberto da esperança e da autonomia.
Estamos integrados no CAF (Centro de Aconselhamento Familiar), um Serviço do Secretariado da Pastoral Familiar da Diocese de Coimbra.
Mas sobretudo somos pessoas que queremos ajudar outros a serem mais pessoa, a acreditarem mais na vida, apesar e sobretudo quando as dificuldades parecem maiores, a perceber que por detrás de uma nuvem está sempre um sol radioso, que muitas das nossas angústias e receios estão dentro de nós e que, dentro de cada um há também muita força desconhecida que é preciso estimular.
No fundo, gostaríamos de ajudar as pessoas a ter melhor qualidade de vida, a enfrentar com optimismo as dificuldades, a acreditar que o futuro não está definido e vai sendo construído, no dia a dia, também por cada um de nós.
publicado por portosolidao@sapo.pt às 02:12 link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

últ. comentários

mais comentados

links

as minhas fotos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro