Férias

As férias são momentos agradáveis para muitos de nós.

Mas para outros podem tornar-se momentos mais difíceis.

Uns porque não têm dinheiro para poder usufruir das terras de sonho e sonhos de paraíso que os cartazes e a publicidade anunciam . Nem sempre assim é. E muitas vezes a publicidade tão bonita afinal esconde uma realidade que não é assim tão agradável. No entanto, quem não pode lá ir nunca saberá que afinal não perdeu tanto como isso. Porque o sonho fica. E o sonho não engana, porque está dentro da nossa cabeça.

 

Outros, porque ficando em suas casas pelas mais variadas razões, vêem muitos vizinhos sair por uns tempos e não têm com quem dar dois dedos de conversa. Falta qualquer coisa que antes tinham mesmo que nem sempre soubessem aproveitá-la bem. Para estes, mesmo que nunca tenham estado em solidão, sentem-se agora sós e percebem como é bom e libertador a presença dos vizinhos, mesmo que seja só para uma olá dito da janela.

 

Há ainda alguns que sempre estiveram em solidão e querem estar. Têm esse direito. Mas o ser humano só pode ser feliz se for um ser para-os-outros. Para estes, as férias dos outros nem adiantam nem atrasam. A sua vida segue ao mesmo ritmo, sempre sós, consumindo-se numa atitude que ninguém pode nem deve criticar, mas que sentimos, nós os que estamos de fora e não conhecemos o que lhes vai na alma, vontade de poder dar uma pequena ajuda. Talvez as férias tragam novas ideias a uns e a outros! 

publicado por portosolidao@sapo.pt às 20:54 link do post | comentar | favorito