Hoje é o primeiro dia

Utilizando o "mote" do poema anterior, não sendo meu objectivo entrar em conceitos estritamente religiosos, vem-me à memória as imagens que vi hoje na televisão, o primeiro dia da visita papal, envolto por um povo que não sei se tem fé ou se procura na fronteira da fé alguma coisa que sente perdida, provavelmente uma outra dimensão da existência que, aos crentes se torna transparente e, aos menos crentes, se torna distante.

Como nada sei ou que sei eu de fé, perder-me-ía em divagações da minha fértil "idiotice".

Prefiro olhar para esse mar de gente que vi no Terreiro do Paço, alguns que riam outros que choravam, não sabendo se as emoções que encheram aqueles corações foram de cristãos mas, certamente, foram de gente que anseia sentir.

 

publicado por portosolidao@sapo.pt às 21:12 link do post | comentar | favorito