A Inutilidade do Sofrimento

Há cerca de um ano fui assistir a uma conferência de Maria Jesus Alava Reyes baseada no seu livro intitulado “A Inutilidade do Sofrimento”.

Por circunstâncias que não vêm a propósito, confesso que me sentei na plateia com algum cepticismo.

Não posso negar que a conferencista transmitia entusiasticamente o positivismo com que é possível encarar as adversidades e não nos deixarmos “manipular” pela atracção pelo desalento. Mesmo assim não surtia, em mim, pleno efeito.

A dado momento Maria Jesus propôs um pequeno exercício: fecharmos os olhos e imaginarmo-nos num local onde tivéssemos vivido momentos de felicidade. Insistia que nos concentrássemos naquele local e que pensássemos que, ao nosso lado, estava sentada uma pessoa de quem gostávamos muito. Aos poucos foi-nos pedindo que sorríssemos, sorríssemos, ríssemos até, porque estávamos felizes. Sempre a sorrir  virássemos a cabeça para quem estava ao nosso lado na plateia e lentamente abríssemos os olhos.

Mesmo ali, junto a mim, um rosto jovem deixava cair algumas lágrimas sorrindo serenamente.

- Por instantes consegui ter o meu marido perto de mim. Está numa comissão de serviço no Afeganistão – disse-me.

Como foi fácil compreender todas as palavras de Maria Jesus naquele olhar e naquele sorriso e entender como, em cada momento, é possível fugir de sofrimentos inúteis e procurar instantes de felicidade.

 

 

publicado por portosolidao@sapo.pt às 20:20 link do post | comentar | favorito